domingo, fevereiro 24, 2008

E o oscar vai para...

Maridovisk e eu adoramos cinema. Sempre que podemos nós fazemos o que chamamos de “maratona do oscar”. Vamos ver todos os filmes que estão concorrendo ao oscar nas categorias principais: ator/atriz, ator/atriz coadjuvante, melhor filme e figurino.

Este ano começamos com “Piaf – um hino ao amor”. E estou torcendo para que a Marion Cotillard ganhe o prêmio de melhor atriz. Há muito tempo eu não me emocionava tanto com uma interpretação. Gostei de absolutamente tudo no filme. A escolha dos personagens, o roteiro, a caracterização da época, tudo primoroso.


Depois fomos ver o tão falado “Onde os fracos não tem vez”. Honestamente, acho que não tenho cultura o bastante para entender filmes como este. Chega a ser chato. Não sou nenhuma crítica de cinema, apenas gosto de sair da sala de projeção feliz, o que não foi o caso. O que salva é a interpretação do Javier Barden, excelente!



Conduta de Risco” tem uma trama legal e também achamos o roteiro muito bom. Atuações já conhecidas do George Clooney e da Tilda Swinton, que passam bem o recado.

Maridovisk ficou implicando comigo quando fomos ver “Desejo e Reparação”. Ele ficava dizendo que era a continuação de “Orgulho e Preconceito”. E eu com os meus argumentos, de que eram épocas diferentes e que eu precisava ir conferir o figurino. Acabou que gostamos bastante do filme. O figurino é realmente bem feito e a história em si é marcante.



O Gangster” está no top dos nossos queridinhos. Só por ser baseado em fatos verídicos ele já ganha muitos pontos. Além disso, o magnífico Denzel Washington está simplesmente perfeito. Russel Crow, no papel do policial incorruptível também bate um bolão. Adoramos e recomendamos!


Quem nos deixou um pouco decepcionados foi Tim Burton, com seu “Sweeney Tood, o barbeiro demoníaco da rua Fleet”. Mas Johnny Deep estava lá para nos presentear com mais uma grande atuação. Ah! E eu também ADORO o figurino e a direção de arte de 99,9% dos filmes do Tim Burton.

Vimos tb “Juno”, que foi altamente recomendado para a minha sobrinha, que está na fase “aborrescente”. O filme tem uma história do dia-a-dia, mas que acaba prendendo nossa atenção, pois é muito bem conduzido.



Já "Elizabeth - a era de ouro", bom, sem comentários. Eu fico emocionada por ver um figurino tão minucioso, rico, fenomenal. O mundo pára ao meu redor e eu quero voltar no tempo tocar aqueles tecidos, ver de pertinho os rufos e as pérolas. E o que é a Cate Blanchet? Maravilhosa, rainha! Bom, já sentiram que aqui em casa hoje a noite vai ter muita pipoca, né...

Um comentário:

Mila Barreto disse...

Feeee,
Nao veja o Sangue Negro... Afffff.
POucas vezes tive vontade de sair do cinema. Pelo menos eu dormi um pouco.. Achei o ó.

Falei de vc hoje com a Mi.
Que saudades, vamos marcar algo por aqui na Barra?
Bjos

;